Você está aqui: Página Inicial > SEI! > Avisos e comunicados > Gente que Faz - COGTI

Notícias

Gente que Faz - COGTI

Conheça a equipe da COGTI/SPOA, que fez o SEI acontecer no Ministério da Fazenda
publicado: 07/05/2018 09h14 última modificação: 07/05/2018 09h14

A CCOM/SPOA conversou com Tiago Aguiar, gerente do projeto da implantação do SEI/MF na COGTI/SPOA. A equipe do projeto na COGTI contou com mais dois servidores, Fábio Moreira, responsável pelo desenvolvimento, e Fabiano Guimarães, responsável pela infraestrutura. Juntos, eles cuidaram desenvolvimento do SEI desde a migração do Comprot até o final da implantação, em março de 2018.

Testes, ensaio e erro, ajustes, customização para que o SEI do Ministério da Fazenda se consolidasse num sistema amigável. O trabalho continua mas o encerramento desta fase de implantação foi marcado por grandes avanços.

Como você resumiria o seu trabalho no desenvolvimento do SEI do Ministério da Fazenda?

Cheguei ao Ministério da Fazenda em dezembro de 2015 e naquele momento iniciamos um trabalho de avaliação do Comprot em relação ao SEI para gerenciamento de processo eletrônico. Escolhemos o SEI para implantar no MF e no início de 2016 a Secretaria Executiva à época determinou à COGTI a implantação do Sistema.  O CRSFN, o Conselhinho foi nosso primeiro usuário e para isso tivermos que criar a infraestrutura para instalar e rodar o Sistema. Depois disso, juntamos esforços com a COGRL, que tinha um Projeto Estratégico (PEC) para implantar o Processo Eletrônico. Fizemos vários ajustes para o SEI rodar na Fazenda como, por exemplo, validação do número do processo e a implantação do módulo Usuário Especial do Sistema.

Qual o maior desafio nesses anos de trabalho no SEI?

Começar algo novo é sempre difícil ainda mais quando se tem uma solução da casa funcionando, como o Comprot.  O estudo realizado comparou funcionalidades e custo de um e de outro, o que facilitou a opção pelo SEI, que contou também com o patrocínio do Secretário Executivo.

Agora, depois da conquista de implantar o SEI em todo o Ministério da Fazenda, qual o seu sentimento?

É muito bom ver o quanto progredimos em menos de dois anos: o número de usuários cresceu exponencialmente e, em sua grande maioria, satisfeitos, a segurança do sistema é constantemente testada e, ainda, há uma interação frequente com a base que interage apontando para novos ajustes, customizações.

Você poderia destacar um ponto do começo e outro do futuro do SEI no MF?

Para o futuro, temos uma meta de integrar os sistemas da Receita Federal ao SEI até o final de 2019. Objetivo não é só a unificação da gestão de processos no Ministério da Fazenda, mas uma redução brutal dos custos anuais, algo em torno de 10 milhões.

 

Tiago Aguiar - COGTI  Fábio Moreira - COGTI  Fabiano Guimarães - COGTI

Da esquerda para a direita: Tiago Aguiar, Fábio Moreira e Fabiano Guimarães

Edição: CCOM/SPOA