Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2017 > Março > Moody's eleva perspectiva para nota de risco soberano do Brasil para estável

Notícias

Moody's eleva perspectiva para nota de risco soberano do Brasil para estável

Nota à imprensa

Fim da contração do PIB, queda de juros e convergência da inflação para meta configuram cenário positivo, segundo a agência
publicado: 15/03/2017 18h40 última modificação: 15/03/2017 18h40

A agência de classificação de risco Moody’s comunicou hoje a melhora da perspectiva para a nota de risco soberano do Brasil de negativa para estável, mantendo a nota de crédito do Brasil, em moeda estrangeira, em Ba2. Segundo a agência, o fim da acentuada contração do PIB, em conjunção com a queda de juros e convergência da inflação para a meta, configura um cenário mais positivo para a economia. A Moody’s avalia que a dívida brasileira possui estrutura suficientemente capaz de mitigar os riscos. 

A elevação considerou a melhora do arcabouço político, o que apresenta perspectivas favoráveis para sustentar as reformas estruturais necessárias. A agência destacou ainda a redução de riscos associados ao passivo da Petrobras e a expectativa de impacto limitado do auxílio aos governos estaduais. A perspectiva estável da nota de crédito incorpora a expectativa de aprovação das reformas.  

Segundo a Moody´s, a possibilidade de elevação da nota está condicionada à retomada do crescimento ou à aceleração da consolidação fiscal. Por outro lado, o eventual retrocesso no desempenho institucional ou retorno de uma disfunção política que comprometa a efetivação das reformas, em particular a reforma da Previdência, representaria um risco para a nota soberana brasileira.

A reavaliação pela Moody’s é um reconhecimento importante dos recentes esforços na recuperação fiscal e destaca os benefícios a serem alcançados com a efetivação das reformas. 

O Governo Federal reafirma o seu compromisso com a recuperação econômica, marcado pelo esforço na aprovação de reformas estruturais, com o objetivo de garantir a sustentabilidade das contas públicas, além de contribuir para a melhora do ambiente de negócios e aumento da produtividade.

registrado em: