Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2017 > Julho > SEAE divulga Boletim de Acompanhamento do Mercado de Loteria

Notícias

SEAE divulga Boletim de Acompanhamento do Mercado de Loteria

Estatística

Arrecadação das loterias federais registrou aumento real superior a 6% no segundo trimestre de 2017 na comparação com igual período de 2016
publicado: 10/07/2017 10h03 última modificação: 10/07/2017 10h08

A Secretaria de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda  divulgou nesta sexta-feira (07/07) a segunda edição do Boletim de Acompanhamento do Mercado de Loteria. A publicação é trimestral e tem como objetivo mostrar números e estatísticas dos produtos lotéricos regulamentados no âmbito federal.

O documento indica que a arrecadação das loterias federais aumentou de R$ 2,93 bilhões no 2º trimestre de 2014, para R$ 3,45 bilhões no 2º trimestre de 2017, representando uma elevação de 17,8% nesse período. 

Na arrecadação real trimestral (descontada a inflação) no período 2014 a 2017, há um declínio de R$ 3,5 bilhões no segundo trimestre de 2014, para R$ 3,4 bilhões (queda de 3,7%) no segundo trimestre de 2017.

Porém, ao se comparar o segundo trimestre de 2016 com igual período de 2017, evidencia-se uma elevação real de pouco mais de 6%, saindo de R$ 3,2 bilhões, em 2016, para os já mencionados R$ 3,4 bilhões, em 2017, diz o boletim.

Essa recuperação no segundo trimestre das loterias federais leva a um crescimento real de aproximadamente 1,7% no primeiro semestre de 2017 (R$ 6,1 bilhões), quando comparado ao primeiro semestre de 2016 (R$ 6 bilhões).

A SEAE avalia que esta recuperação real na arrecadação semestral das loterias federais pode ser reflexo de uma possível recuperação na economia brasileira, neste primeiro semestre.

A secretaria ainda afirma que com o aumento da arrecadação no segundo trimestre de 2017, em relação ao mesmo período do ano anterior, houve maior repasse de recursos das loterias para os programas sociais e elevação da arrecadação do Imposto de Renda com a premiação concedida.

“De fato, os repasses sociais se elevaram em aproximadamente 4% entre o segundo trimestre de 2016 (R$ 1,26 bilhão) e o segundo trimestre de 2017 (R$ 1,31 bilhão)”, diz o documento.